mitos | Finanças | Uey
Home » mitos
A compra de uma casa própria, bem como criar uma reserva financeira para os imprevistos, além de investir dinheiro para a aposentadoria. São muitas as decisões que acabam envolvendo o dinheiro, e sempre trazem para as pessoas algum tipo de dúvida. Para que se façam as melhores escolhas para a sua vida, o maior segredo […]

A compra de uma casa própria, bem como criar uma reserva financeira para os imprevistos, além de investir dinheiro para a aposentadoria. São muitas as decisões que acabam envolvendo o dinheiro, e sempre trazem para as pessoas algum tipo de dúvida. Para que se façam as melhores escolhas para a sua vida, o maior segredo é que não se caia em mitos de finanças.

Muitas vezes também acreditamos estar bem informados, mas na verdade apenas reproduzimos diversos conceitos ultrapassados ou ainda que não se venham a aplicar em nossa realidade. Justamente por este motivo podemos apontar alguns dos maiores mitos das finanças.

Ter o imóvel como um tipo de prioridade

Certamente este é o maior mito que existe no campo das finanças. Para a maioria das pessoas, os imóveis servem como um dos melhores investimentos que poderão ser realizados e por este motivo não medem ainda esforços para a conquista de casa própria. A partir disto, muitas vezes, essa é uma escolha bastante emocional de que racional, somos devidamente tomados por uma sensação de segurança de contar com uma casa própria.

Procure evitar decisões que sejam impulsivas, por isso, se for para comprar um imóvel, é importante ficar certo de que esta decisão será algo duradouro. Do contrário, fatalmente você irá acabar vendendo algo mais barato do que comprou, se algum aspecto do negócio gerar uma frustração para a sua vida.

Caso o objetivo seja lucrar com a devida locação, pois saiba que é possível se encontrar no mercado financeiro com aplicações que poderão render mais do que um aluguel. E por este motivo nem sempre a valorização do imóvel será algo vantajoso ou deverá corresponder as suas determinadas expectativas e necessidades.

É sempre ruim utilizar o cartão de crédito

Neste ponto é fundamental não ter medo, o cartão, desde que bem usado, não é um vilão, pelo contrário. Com uma boa disciplina, será possível contar com uma excelente ferramenta para que você possa administrar bem suas finanças pessoais.

Além disto, os juros dos cartões de crédito são altíssimos para quem atrasar o pagamento de fatura, e mesmo com a mudança das regras. Apesar disto, quem mantiver pagamentos em dia poderá contar com alguns benefícios, entre eles os programas de milhagem.

A utilização de cartões de crédito, mais uma vez, apenas será válida se você conseguir pagar tudo em dia. do contrário, os juros realmente poderão se tornar um problema sério, e uma grande dor de cabeça.

Achar que a poupança é o melhor investimento

Muitas pessoas ainda acreditam que esse é o melhor tipo de investimento que existe no mercado. Apesar disto, muitas ainda atribuem a questão da segurança do investimento, quando não é verdade. Alguns tipos de investimentos, como por exemplo o LCI, LCA e o CDB são bastante vantajosos, bem mais do que as cadernetas de poupança e ainda contam com níveis de segurança bastante semelhantes.

O dinheiro apenas virá com seu trabalho

O fato é que este tipo de afirmação não está de total correto, o ato de empreender e investir certamente são a melhor forma de contar com um patrimônio relevante. E isto não quer dizer que você precisa apostar em negócios que sejam de alto risco, pois existe uma série de investimentos que são seguros, como os apontados anteriormente.

Finanças são assuntos complicados

Agora é a hora de esquecer que as finanças são um grande bicho de sete cabeças. Apesar de ser preciso tratar o assunto de forma séria, não é algo tão complicado assim investir seu dinheiro, basta que ocorra um comprometimento e foco no futuro.

Finanças - dinheiro, finanças, mitos


    Publicado em 3/2/2022 - 09h27
    Alguns dos principais mitos relacionados a finanças

    A compra de uma casa própria, bem como criar uma reserva financeira para os imprevistos, além de investir dinheiro para a aposentadoria. São muitas as decisões que acabam envolvendo